É comum nos depararmos com situações de preconceito voltadas às pessoas que se encontram em um sofrimento psíquico que afeta a saúde mental, tal que este possa ser caracterizado como um estado de adoecimento mental ou simplesmente doença mental.

Mas o que seria doença e saúde mental? Será que é aquilo socialmente conhecido como loucura? Todo aquele que está em adoecimento mental é louco ou doido?

Quem não está enfrentando momentos conturbados na vida que possam prejudicar sua saúde mental é aquele que é tido como “normal”?

Pois bem, vamos compreender melhor este assunto tão estigmatizado ao longo da construção da nossa história.

Vamos falar sobre Saúde Mental?

A saúde mental não é apenas a ausência de doença mental, ou seja, o equilíbrio emocional e cognitivo que possibilita a utilização eficiente de todas as faculdades mentais do indivíduo.

É importante entendermos as doenças mentais desde aquelas que não apresentam estados psicóticos, sendo assim, falamos de psicopatologias nas quais não temos necessariamente a presença de delírios e alucinações, por exemplo.

Aqui se encontram a ansiedade, depressão, síndrome de burnout, o próprio estresse, entre outras.

Trabalho: Prazer x Sofrimento

Mas afinal, qual a relação entre a Saúde Mental e o Trabalho? A questão é que quando falamos de trabalho nos remetemos a um fazer com o qual ocupamos grande parte da nossa vida.

Acordamos às cinco da manhã, almoçamos longe da nossa família, voltamos para casa tarde quase todos os dias depois de uma longa jornada de afazeres repletos de “abacaxis” aos quais nós temos que dar respostas suficientemente inteligentes e eficazes, ainda tendo que ser extremamente pacientes, simpáticos, equilibrados deixando de lado as nossas emoções e inclusive as nossas dores.

Que tarefa difícil! Porém, é exatamente assim que a sociedade espera que nos comportemos, afinal, precisamos ser produtivos. Não é mesmo? No entanto, não devemos encarar o fazer laboral como sendo algo que gere sofrimento o tempo todo.

Ter um emprego, uma tarefa, um trabalho é ter a possibilidade de construir-se enquanto sujeito.

Por vezes o trabalho é fonte geradora de prazer, não apenas pela recompensa monetária, mas principalmente pela sensação de estarmos fazendo algo significativo.

Quando isto não acontece e o ambiente torna-se aversivo, aí sim nos deparamos com um sofrimento patológico que pode não abrir caminho à criatividade.

De que forma esse ambiente de trabalho pode atrapalhar a Saúde Mental dos colaboradores?

Se torna bem difícil desenvolver um trabalho de forma eficaz e gratificante em um ambiente estressor. Por vezes podemos nos deparar com a incapacidade de produzirmos conteúdos e resultados relevantes à empresa junto a qual colaboramos e, também, significativos a nós mesmos.

Um ambiente com as seguintes características acabam prejudicando seus colaboradores ao invés de contribuírem para o seu crescimento pessoal e profissional:

  1. Ambiente extremamente rígido: lugares assim são capazes de impedir o fluxo da criatividade e inibir potenciais, desta forma não há o desenvolvimento de novas habilidades, mas sim um bloqueio cognitivo causado por prejuízos emocionais geralmente vindos do meio externo.
  2. Ambientes sem comprometimento: estes tipos de ambientes acabam fomentando a libertinagem, dando espaço à insubmissão e insubordinação, ou seja, um lugar sem ordem. Se não tem ordem, não tem metas e se torna uma verdadeira bagunça.

Você não sabia, mas conviver em espaços como estes pode ser bastante comprometedor à Saúde Mental das pessoas, principalmente por não haver clareza no caminho profissional pelo qual se está trilhando. Daí nos deparamos com a perda do sentido do/no trabalho.

RECEBA GRÁTIS

Porque é importante investir na Saúde Mental?

Provavelmente já ficou bem claro como pode ser prejudicial à própria empresa o adoecimento mental do seu colaborador, desta forma vale dizer que investir na Saúde Mental não é gasto, mas ganho.

Sobretudo por se ter a ética e valorização dos Direitos Humanos, melhorando até a imagem da instituição ou empresa, mas também o fato de se ter um quadro de colaboradores mais saudáveis consequentemente conduz ao aumento da satisfação no ambiente de trabalho, melhorando o clima organizacional e aumentando a produtividade. E isto significa muito mais resultados para a empresa.

Vale destacar que as organizações visam exatamente isso: crescimento, lucratividade, produtividade, qualidade, novos clientes, melhor imagem no mercado etc.

Destaca-se aqui a atuação do psicólogo como ferramenta primordial de prevenção e intervenção no campo da Saúde Mental e Trabalho. O trabalhador em sofrimento psíquico precisa de alguém que seja empático, saiba ouvi-lo sem cobrá-lo, respeite e compreenda suas perspectivas, o acolha, o instrua.

A empresa por sua vez necessita conscientizar-se que é indispensável a presença de profissionais habilitados para desenvolver ações voltadas para a Saúde Mental dos seus colaboradores, e o psicólogo tem o devido preparo para elaborar e fazer-se cumprir programas e projetos para tais fins.

Algumas ações que contribuem com a Saúde Mental no Trabalho

  • É indiscutível a importância do reconhecimento e valorização dos colaboradores;
  • Oferecer oportunidades de crescimento como cursos, por exemplo, também, contribui para a construção de sentidos e melhor desempenho no trabalho;
  • Salários melhores servem de estímulo para uma atuação mais eficaz;
  • Mais benefícios como planos de saúde, vale transporte, vale alimentação etc, são atitudes para com os colaboradores que acabam reafirmando a sua importância na empresa dando a sensação de estabilidade e segurança;
  • Dar maior liberdade de atuação ao colaborador possibilita espaço para seus potenciais criativos e mais prazer em sua atuação;
  • Investir em lazer e qualidade de vida por meio de benefícios (um exemplo disto são as folgas) coopera para o bem-estar do colaborador.

Enfim, espero que este pequeno texto tenha esclarecido algumas questões relacionadas à Saúde Mental em si e no campo do trabalho, quebrando paradigmas e estigmas, abrindo um campo de novas possibilidades para compreensão do homem e seu fazer laboral.

Desta forma, se este artigo foi relevante, fez diferença em sua vida e lhe acrescentou conhecimento, compartilhe e ajude a levar estas informações adiante, outras pessoas podem estar precisando compreender sobre a temática.

E se você se identificou com o texto, procure um psicólogo, Saúde Mental é tão importante quanto saúde física. Cuide-se e valorize-se!


Suellen Cristine Silva Mendes

Suellen Cristine Silva Mendes

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *