Conhecer os seus pontos fracos significa ter um autocontrole sobre você mesmo. Isso pode ajudar em inúmeros aspectos da sua vida pessoal e profissional. Além de auxiliar a responder aquela pergunta desconfortável que sempre nos é feita: “Quais são seus pontos fracos?” Saiba como identificar os pontos fracos de uma pessoa e transformá-los em resultados.

O que são pontos fortes e pontos fracos de uma pessoa?

Pode-se dizer que um ponto forte é a capacidade de executar alguma atividade de maneira quase perfeita. Se uma pessoa consegue realizar algum tipo de tarefa com qualidade acima da média e no momento que ela deseja, essa habilidade é um ponto forte dela.

Já um ponto fraco é a incapacidade de realizar algo com qualidade. Em outras palavras, trata-se de uma atividade ou habilidade em que, frequentemente, apresenta um desempenho abaixo da média.

Imagine que você seja muito bom em desenvolver textos. Sempre que é necessário fazer um texto no trabalho você é o escolhido da equipe, e a cada 10 textos, você se sai muito bem em 9 deles. Isso representa um ponto forte seu: a escrita.

Mas quando você precisa falar em público, o seu desempenho cai muito. Você não possui boa postura, gesticulação e carisma. Essa falta de domínio faz com que o seu desempenho não mantenha o nível requerido. Nesse caso, o ponto fraco é sua falta de habilidade em falar em público.

RECEBA GRÁTIS - GUIA COMPLETO

Quais são os seus pontos fracos e o que fazer com eles?

A maioria das pessoas, após uma autoanálise, passa a tomar consciência de que possui muitas fraquezas.  a partir daí, consome tempo e energia tentando se proteger deles.

A primeira atitude a se tomar quando isso ocorre, é fazer uma lista  com os seus pontos fracos e priorizá-los, do mais importante para o menos importante, para então trabalhar cada uma de forma planejada.

Os pontos fracos caracterizam as dificuldades, pois se referem à fragilidade que limita o desempenho sobre o “melhor de si”. Culturalmente, desde que nascemos, somos levados a esconder nossos pontos fracos para nos tornarmos “dignos” das melhores avaliações.

Erramos em não reconhecer que possuímos pontos fracos, e quanto mais investimos energia nesse processo, mais nos tornamos reféns desse padrão vicioso. É importante compreender que os nossos pontos fracos, a despeito de não refletirem nossa melhor performance, podem indicar oportunidade de grande aprendizado e crescimento.

É importante colocar nessa lista que você criou atividades nas quais seu desempenho é baixo e características pessoais negativas. Exemplos: Dificuldade de comunicação, pouca flexibilidade, baixa liderança, estresse elevado, insegurança, entre outros.

Para ter um melhor conhecimento sobre eles, uma opção interessante é pedir feedback sobre os seus pontos fracos para pessoas que convivem diariamente com você. Saber como as pessoas te enxergam é muito importante para fazer sua autoanálise.

Transformando os pontos fracos em resultados

Independentemente de qual seja o seu objetivo de carreira (ou de vida), experimente refletir sobre como os seus pontos fracos se relacionam a ele, (ninguém tem tanta consciência a este respeito quanto você mesmo) e aja agora. Isso vai te ajudar a entender como você pode investir no seu desenvolvimento de forma mais assertiva.

Transformar nossos pontos fracos em pontos fortes é o nosso objetivo, precisamos reconhecer que todos temos limitações, e começar a trabalhá-las (uma por vez) a fim de crescer, aprender a lidar com as dificuldades e encarar os nossos medos.

Somos por natureza seres imperfeitos em busca da excelência. Reconhecer e aceitar que temos pontos a serem melhorados ajuda a nos posicionar melhor diante das situações e pode auxiliar em transformar os pontos fracos de uma pessoa em resultados.

Gostou desse conteúdo? Curta nossa página no Facebook e fique por dentro dos próximos posts!


Douglas Samuel

Estudante de marketing, e trabalhando como analista de marketing júnior na Vulpi. Buscando crescer e desenvolver cada vez mais nas áreas de design, fotografia e marketing.

2 comentários

Vera Silva · 11 de julho de 2019 às 19:54

Gosto muito do artigo do seu site. Estarei acompanhando sempre.Grata!!!

Vera Silva · 18 de outubro de 2019 às 16:48

Gostei muito do artigo do seu site. Estarei acompanhando sempre.Grata!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *