Qualquer empreendedor experiente sabe qual é a base para se montar um empreendimento de sucesso: planejar, implementar, distribuir, analisar e repetir. Entretanto, no mundo digital alguns empreendedores iniciantes “empacam” na fase do “analisar”. Essa é a fase do MVP, fase de criar um aplicativo ou site em “versão beta”, para que sirva de análise dos parâmetros propostos.

Para ajudá-los nesta etapa do projeto, é que existe o MVP: Minimum Viable Product ou, em português, Produto Minimamente Viável. Esta técnica permite o lançamento de partes mínimas do produto, apenas para testar se o protótipo funciona corretamente e qual é a interação com os usuários.

Com essa estratégia, a startup aprende rapidamente com os próprios erros e faz os ajustes necessários antes de lançar o produto no mercado. Pequenos defeitos que são aceitáveis no MVP seriam um desastre se estivessem no produto final.

enjoythecode

Como analisar um MVP

Para que um MVP atinja seus objetivos, é preciso que as métricas utilizadas sejam de fácil obtenção e que as variáveis possíveis sejam limitadas. Se nessa etapa tiver muitos itens a serem analisados, é possível que você não consiga relacionar o resultado ao item certo que precisa ser alterado.

Nesse caso, você saberá que tem algo errado, mas gastará um tempo precioso para identificar qual daquelas variáveis precisa ser atacada. Entretanto, é importante que seu protótipo tenha as principais funções para que você possa identificar as reações do seu público.

Características do MVP

  1. Ter boa qualidade para que as pessoas sintam vontade de usá-lo;
  2. Beneficiar o usuário, de forma que ele queira retornar quando o site ou aplicativo for oficialmente lançado;
  3. Fornecer ao desenvolvedor informações relevantes para a melhoria do produto.

Tipos de MVP

Os tipos mais comuns são:

  1. MVP de baixa fidelidade

Serve para validar ou refutar premissas básicas do negócio, como, por exemplo, saber quanto as pessoas pagariam por determinado produto ou serviço, ou se o design planejado realmente atrai e conquista usuários.

Alguns especialistas defendem a ideia de que é possível criar um MVP mesmo sem nenhum conhecimento de programação. O empreendedor pode simplesmente criar uma landing page para vender o produto e pedir para as pessoas se cadastrarem em troca de um desconto ou um ebook, por exemplo. Desta forma, seria possível medir a demanda por aquele produto ou serviço e quanto as pessoas gostariam de pagar por ele.

Variações dessa estratégia podem ser utilizadas também em redes sociais.

  1. MVP de alta fidelidade

É mais complexo e já apresenta o diferencial do seu site ou aplicativo, embora ainda apresente apenas as funções básicas. O produto deve ser apresentado quase pronto e com ótimo design.

Cuidados

Qualquer que seja sua escolha, alguns cuidados são necessários para que o estudo não vire um prejuízo.

Não exponha a ideia do produto indevidamente. Um concorrente pode “roubar” a ideia e lançar o produto dele mais rápido que você.

Contrate um profissional especialista na análise de resultados e comportamento do consumidor. De nada adiantará investir em uma MVP se, no final, suas análises forem equivocadas.

Bom trabalho!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *