A gente tem batido muito na tecla das diferenças culturais entre o mercado de trabalho, dito tradicional, e os profissionais da área de tecnologia da informação, mais precisamente dos desenvolvedores.

E um campo onde as diferenças estão evidentes é no comportamental. Os profissionais de desenvolvimento fazem parte de um grupo de trabalhadores que se preocupam com o ambiente ao seu redor e preza por cercar-se de pessoas engajadas em um ambiente propício ao seu crescimento profissional e pessoal.

A quebra de paradigmas comportamentais saiu do campo social e invadiu os escritórios. Muitos associam essa quebra de preceitos ao boom das startups. Não podemos relacioná-las 100%, mas podemos sim tirar muito proveito da cultura das startups e alinhar à nossas empresas “tradicionais”.

A antiga cultura corporativa

Quando falávamos sobre a cultura de uma empresa, pensávamos em regimentos, regras de comportamento e convivência. Um delimitador comportamental que a empresa exigia e impunha aos funcionários.

A cultura corporativa era um termo para mascarar um regimento rígido e moldado por preceitos, um tanto quanto arcaico. Escritório é um ambiente de trabalho e nada mais. Você estava ali para trabalhar e nada mais. Você batia ponto e recebia por isso, só por isso.

Com tempo, alguns benefícios além do salário surgiram para dar uma condição melhor aos trabalhadores e, obviamente, passaram a fazer parte da cultura corporativa. O problema é que todas as empresas ofereciam os mesmos benefícios, ou seja, a cultura corporativa não se distinguia entre um escritório e outro.

Mas, parece que com o século XXI as coisas estão mudando. Muitos já não buscam um emprego só para bater cartão e receber os benefícios.

A nova cultura corporativa

Podemos dizer que os responsáveis pelas novas culturas corporativas são exatamente os novos profissionais. A mudança da sociedade e sua visão de trabalho têm criado profissionais que não vejam o trabalho como algo que deva ocupar 100% as preocupações.

 Antes, a única motivação de um empregado era com o seu salário ao fim do mês, hoje, os profissionais desejam trabalhar em um ambiente propício para a criação e que ele tenha em seus companheiros de serviço, pessoas com quem possam dialogar.

E os desenvolvedores são profissionais muito interessados em empresas que sejam engajadas no bem estar de seus funcionários.

Com a tecnologia, criou-se a possibilidade de trabalhos remotos. Ou seja, às vezes um profissional não precisa nem comparecer ao seu escritório. Isso pode significar um aumento na qualidade de vida dos trabalhadores, mas não quer dizer que eles irão escolher trabalhar para você só por causa disso.

RECEBA GRÁTIS - GUIA COMPLETO

Oferecer a possibilidade de escolha é muito mais motivacional, quando a pessoa percebe que tem voz ativa dentro da empresa, ela se pré-dispõe a engajar muito mais nas causas da empresa.

Você deve estar perguntando por que oferecer somente a opção do trabalho remoto não é interessante. Além do chamado home office, cresceu muito a modalidade de freelancer, profissional que faz trabalhos esporádicos para empresa, ao final, após a entrega, acaba-se o vínculo.

Pode ter certeza de que se o candidato desejasse somente trabalhar de forma remota, ele não procuraria por um contrato ou carteira assinada.

Por isso é importante ressaltar que a cultura corporativa não está mais atrelada a regimentos e normas de condutas. A sua cultura deve transmitir de forma transparente os valores da empresa, para que sejam atraídos funcionários dispostos a agregar valor a sua equipe.

Cultura corporativa e engajamento

O que esses novos profissionais estão pedindo em troca desse comprometimento é nada mais que um ambiente propício para o trabalho. Lembre-se que as pessoas passam, às vezes, mais horas com seus colegas de serviço do que com amigos e familiares. A criação e manutenção dessa nova cultura cria uma atmosfera engajadora.

A satisfação do trabalhador não está somente mais no salário, mas sim nos dias em que ele passa dentro desse ambiente acolhedor e no qual ele sente-se ativo e responsável pelos frutos colhidos.

Uma dica importante é que se você ainda não criou a cultura corporativa da sua empresa, aproveite o momento para aproximar-se dos seus colaboradores.

Com certeza, um ambiente com uma cultura transparente e na qual os profissionais sintam-se inseridos, atrairá os melhores e mais engajados trabalhadores.

Um ambiente propício, uma cultura de inserção e pessoas engajadas são pilares de uma empresa de sucesso.

E, se você tem dúvidas em como conseguir os melhores profissionais que se adequam à sua cultura, deixe seu comentário e a Vulpi terá o prazer em ajudar!


Avatar

Fellipe Couto

Fundador da Vulpi, já ajudei diversos clientes a encontrarem os melhores desenvolvedores para suas empresas. Apaixonado por empreender e transformar o mercado de desenvolvedores através de oportunidade de carreira e reconhecimento.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *