Esse é um conteúdo produzido por um autor convidado. Neste texto será abordado o que é acessibilidade de cores.

 

Vou começar o post de hoje com algumas perguntas: você sabe o que é acessibilidade web? E se conhece, utiliza em seus projetos? Sabe como funciona a acessibilidade de cores?

Já deu para perceber que o assunto vai ser bem interessante, não é mesmo? Então, vamos entender melhor!

 

O que é a Acessibilidade Web

As pessoas que utilizam aplicações digitais possuem uma variedade de características. Como desenvolvedores(as), não podemos presumir que todos os nossos usuários estão acessando nosso conteúdo usando o mesmo navegador, sistema operacional ou monitor que nós.

Considere estas características do usuário: baixa visão, incapacidade de ver, daltonismo, dislexia, deficiência auditiva e física. Uma aplicação considerada acessível deve funcionar para todos estes e muitos outros não citados. Segundo a W3C, a acessibilidade web possui quatro conceitos principais, sendo que o conteúdo deve ser:

  • Perceptível;
  • Operável;
  • Compreensível;
  • Robusto.

E como funciona com a acessibilidade de cores?

Agora que já temos o conceito em mente, vamos explorar algo essencial para a acessibilidade, as cores. Neste momento elas são importantes para quem possui baixa visão, daltonismo e dislexia. 

As cores estão intimamente ligadas à comunicação e percepção visual. Desde o início da história, elas causam efeitos nos seres humanos. Estão presentes na natureza, nas ruas, pinturas e até no nosso estilo (quem não gosta de combinar as cores das roupas?).

Nos sistemas digitais, isso não é diferente. A cor do produto remete às emoções do usuário e ela desempenha um papel importante na experiência de pessoas com deficiência visual. Escolher cores erradas pode fazer da sua aplicação um completo desastre.

Imagine só, se os visitantes não conseguem ler seu conteúdo. Ou ainda deixarem de escolher opções importantes por não conseguirem enxergar?

Sabe quais cores utilizar para deixar o UX bem elaborado? 

 

Dicas para usar a acessibilidade de cores nos projetos

Estude

A primeira dica, bastante valiosa, é estudar as limitações de acessibilidade às cores. Por exemplo, alguns tipos de daltônicos não enxergam verde e/ou vermelho, outros sentem dificuldades ao baixo contraste (como um conteúdo cinza claro, com fundo branco).

Utilize padrões

Para maior agilidade na construção das aplicações, uma excelente alternativa  é possuir padrões  de acessibilidade. As cores que serão utilizadas no projeto, de preferência devem ser documentadas, – que é o certo a se fazer. Assim, toda equipe poderá consultá-la quando necessário e usar corretamente. Isso não apenas reduz a confusão, mas também garante a acessibilidade.

Conte com a ajuda de ferramentas

Utilize ferramentas para deixar sua aplicação acessível. Olhe o exemplo de duas delas que preparamos para você:

  • Para documentar o plano de fundo,  combinações de cores do texto e a classificação de acessibilidade de cada combinação, você pode utilizar a InVision Craft;
  •  Verificador que testa a taxa de contraste entre as cores do primeiro plano e do plano de fundo. Trata-se da WebAIM. Para testar, basta inserir os códigos hexadecimais que serão utilizados na sua aplicação.

Use mensagens

Por último, não dependa apenas da cor para transmitir informações importantes do sistema. Tais como: status de erro, sucesso ou avisos do sistema.

Certifique-se de incorporar mensagens que indiquem de forma clara o que está acontecendo.

 

Extras

Alguns links úteis que podem ajudar na sua aplicação: 

 

E aí, viu o quanto é importante a acessibilidade das cores em nossas aplicações? Devemos ter em mente que isso não deve ser algo imposto por lei ou algo do tipo, mas sim sensibilidade na hora de construir ferramentas digitais. 

 

Este texto foi feito pela Josélia Pires, autora convidada da Vulpi. Tem interesse em compartilhar algum conteúdo no Blog da Vulpi? Clique aqui.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *